26 de novembro de 2009

Simplesmente Neruda


É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer.
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas.
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.

É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.

É proibido deixar os amigos.
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.

É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.

É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.

É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso,
só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e apagá-lo com seu presente.

É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.

É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.

É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda


Continue lendo >>

MUNDO MODERNO 18

Continue lendo >>

24 de novembro de 2009

Cinemagia exibirá sessões gratuitas de cinema em até 100 espaços municipais da cidade de São Paulo

O projeto Cine Clube Escola, que prevê cerca de 14 milhões de espectadores por ano, será lançado no Estádio do Pacaembu com a presença de Gilberto Kassab e Walter Feldman

No próximo dia 26, às 20h, será lançado no Estádio do Pacaembu o Cine Clube Escola, uma iniciativa que promove sessões gratuitas de cinema para toda a população. Na ocasião estarão presentes Gilberto Kassab, prefeito da cidade de São Paulo, Walter Feldman, secretário municipal de Esportes de São Paulo, e Matteo Levi, presidente da Cinemagia. O filme exibido no lançamento do projeto será “Eu, meu irmão e nossa namorada", trama que acompanha a história de um homem (Dan Burns) que se apaixona pela namorada (Juliette Binoche) de seu irmão (Dane Cook).

A partir de fevereiro de 2010, o Cine Clube Escola levará a magia do cinema à toda população uma vez por mês no Estádio do Pacaembu e também uma vez por semana em 20 diferentes espaços esportivos do município de São Paulo, como o ginásio do Pacaembu, o ginásio do Ibirapuera, o Parque do Ceret (Tatuapé), dentre outros. O objetivo é chegar a exibir sessões de cinema em 100 espaços públicos até o final de 2010.

O projeto, portanto, dará acesso cultural gratuito à população, hoje tão distante das salas de cinema, graças à parceria firmada entre a Prefeitura de São Paulo, a Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo e o projeto Cinemagia.

“A expectativa é atingir 14 milhões de espectadores por ano nestes 100 espaços que exibirão as sessões abertas ao público”, explica Matteo Levi, idealizador do Cinemagia, projeto de cinema itinerante que já exibiu sessões gratuitas para mais de 1 milhão de pessoas, em vários estados brasileiros, desde 2002.

De acordo com Levi, o Brasil é um dos maiores mercados cinematográficos do mundo, e mais de 90% dos municípios brasileiros não têm sala de cinema. “O meu sonho sempre foi propiciar a todas as pessoas a emoção e a magia que um filme desperta. Para mim ninguém deve ser excluído desse encantamento promovido pelo cinema, mas exibir essas sessões gratuitas na capital da maior cidade do Brasil só foi possível graças ao apoio fundamental de Gilberto Kassab e Walter Feldman”, ressalta Levi.

A tecnologia desenvolvida pela Cinemagia em parceria com a Cisco System e com a Sony é inédita no Brasil. Todo o controle da operação do filme é feita diretamente da sede da Cinemagia.

A tela a ser erguida pela Cinemagia no Estádio mede 15x8 mts. Para o lançamento do projeto Cine Clube Escola, a Cinemagia encomendou um tapete vermelho de 218 m² e um carpete verde, da mesma cor do gramado, para não comprometer a visualização da tela.

Sobre a Cinemagia

A Cinemagia, fundada em 2002, nasceu com a idéia de oferecer o encanto e a emoção do cinema para todos, em qualquer localidade do território nacional por meio de cinema itinerante. Possui diferentes tipos de equipamentos que permitem criar um cinema sob medida nos lugares mais variados: empresas, escolas, hospitais, praias, praças públicas, estádios, ginásios, universidades, escolas etc. Para saber mais sobre a Cinemagia, acesse www.projetocinemagia.com.br

Continue lendo >>

4 de novembro de 2009

10° Projeta Brasil Cinemark exibe filmes nacionais a R$2


O 10° Projeta Brasil Cinemark será realizado na segunda-feira, dia 9 de novembro. Na data, todas as salas da Rede no país (exceto as duas Salas Cinemark Bradesco Prime no Shopping Cidade Jardim), exibirão somente filmes nacionais recentes, com ingressos a R$2.

Longas de diversos gêneros ganharão sessão nas salas dos 20 complexos da Grande São Paulo, como “Se Eu Fosse Você 2”, “Besouro”, “Alô, Alô Terezinha” e “O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes”. Os ingressos já podem ser adquiridos pelo site www.cinemark.com.br e nas bilheterias dos complexos.

Para saber mais sobre o Projeta Brasil, acessem http://cinemark.com.br/acao/projetabrasil.html

Continue lendo >>

Hotel Atlântico, de Suzana Amaral, estreia dia 13 de novembro

Suzana Amaral, cineasta premiada com os longas-metragens “A Hora da Estrela” e “Uma vida em segredo”, lança o filme “HOTEL ATLANTICO” em circuito nacional. O filme, que participou do Festival Internacional de Toronto, foi avaliado pelo Hollywood Reporter como um “ enigmático road movie brasileiro que viaja em direções intrigantes com ecos de Antonioni e David Lynch” e conquistou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no FestRio com a atuação de Gero Camilo, além de ter participado da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O filme também acaba de ser convidado para participar do Festival de Havana, que se inicia no dia 3 de dezembro.

O HOTEL ATLANTICO tem roteiro de Suzana Amaral e foi baseado na obra de mesmo nome de João Gilberto Noll. No papel principal está Julio Andrade, que atuou no filme Cão Sem Dono. Além dele estão no elenco Mariana Ximenes, João Miguel e Gero Camilo e outros.

No filme um ator desempregado embarca numa viagem sem destino, um voo cego sem instrumentos. Durante a jornada, se depara com situações absurdas, contraditórias e inesperadas, sem relações de causa e efeito. Encontra pessoas bizarras, amores suspeitos e quase a morte. Sempre no fio da navalha, HOTEL ATLANTICO faz da realidade uma farsa e apresenta o absurdo da vida, onde os eventos ocorrem inesperados, muitas vezes sem explicações lógicas. Eles se desdobram fragmentados, desconectados entre si, culminando num final inesperado e instigante.

Segundo Suzana Amaral, “O que me atraiu no livro HOTEL ATLÂNTICO foi a oportunidade de realizar um filme onde a narrativa permitisse novas formas cinematográficas e uma linguagem mais arrojada. Meus dois primeiros filmes foram intimistas, emocionais e clássicos. Rompendo com meu estilo anterior, busco nesse filme realidades diferentes, ações imprevisíveis e personagens surpreendentes. O olhar do protagonista é instigante e os fatos acontecem fragmentados, culminando num final inusitado... uma obra aberta".

Para assistir ao trailer acesse www.hotelatlantico-filme.com.br e para ver as fotos do filme: http://www.flickr.com/photos/hotelatlantico

Continue lendo >>

Isso acabou com o meu dia, mas fica para reflexão

Passando pela caixa de comentários do Blog do Uomini, deparo com estas palavras escritas neste post.


Olá Uomini, Me chamo Cláudio, tenho 73 anos, sou paulistano e sempre fui do tipo que comprou ilusões.

Nunca me privei da companhia de rapazes bem mais jovens, que sempre cobravam seu preço, ou de farras na Medieval (do tempo que ainda chamávamos de "Maria Augusta" a famosa rua) e nas boates que vieram depois. O que me sobrou? O que construí de real? Nada!


Se quero companhia, preciso ir até uma sauna e pagar (caro) para ouvir meia dúzia de mentiras. Os amigos, que não se foram por causa da "maldita", vivem a base de calmantes e igualmente sozinhos.


Sou de uma geração sem voz, mas se alguns de vocês quisessem um conselho eu diria: construam amizades sinceras, relacionamentos verdadeiros, valorizem o interior das pessoas e não se concentrem em superficialidade.


Se hoje eu fosse quarenta anos mais novo, faria tudo diferente. Bem diferente!


Cláudio | 02-11-2009 17:05:15


Sem comentários =/

Continue lendo >>

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO