18 de agosto de 2008

OZ

Todo mundo quando questionado quanto ao conhecimento de alguma série que aborda a temática GLS, sempre lembram de Queer as Folk e, da mais atual, L Word. Entretanto, nenhuma dessas conseguem ter a carga homoerótica de OZ. (Apesar de NÃO ser um série gay)

Criada por Tom Fontana, que também escreveu e co-escreveu os 56 episódios das 6 temporadas exibidas entre 1997 e 2003, Oz é uma série dramática produzida e exibida pelo canal de tv americano HBO.

Por ser transmitida pela TV a cabo OZ aproveitou desta liberdade, para mostrar de maneira nua e crua o cotidiano das instituições correcionais americana. Temas como o uso e tráfico de drogas, violência, homossexualidade e conflitos étnicos, religiosos e ideológicos são a tônica da série.

OZ é um seriado tão ousado esteticamente quanto perturbador. Seus protagonistas são anticonvencionais (assassinos e estupradores com pouca ou nenhuma qualidade redentora) e conta com um enredo que além de complexo é surpreendente.

A cada 10 minutos de episódio somos confrontados com situações que de ínicio aparentam ser simples, mas que na realidade mostram-se complexas e fascinantes, além de nos trazer ao autoquestionamento.

Por fim, pego emprestado o monólogo inesquecível, que o narrador da série, o prisioneiro Augustus Hill, utilizou para encerrar o episódio final da série.

"Então, o que nós aprendemos? Qual foi a lição de hoje, depois de incessantes dias e noites em OZ? Que a moralidade é efêmera? Que a virtude não pode existir sem violência? Que ser honesto é um defeito? Que dar e receber amor tanto nos rebaixa quanto nos eleva? Que Deus, Alá ou Jeová sabem responder perguntas que nós nem ousamos fazer? A história é simples. Um homem vive na cadeia e ele morre. Como ele morre, é fácil saber. Quem era ele e por que ele morreu é a parte complicada... a parte humana... é a única parte que vale a pena entender... Paz."

Site Oficial: http://www.hbo.com/oz/index.shtml

---------------------------

UPDATE: Passando pelo blog BHY, vi o link para algumas cenas "interessantes" de Oz. Clique Aqui

7 deixaram seu recado:

Pablo 18 de agosto de 2008 12:59  

Six Feet Under, também da HBO, tem um personagem gay, o Michael C. Hall, que faz o Dexter no seriado....... Dexter, exibido pelo também canal a cabo Showtime.
Em Six Feet Under, o personagem de Michal C. Hall chega num ponto que vira um pegador gay, a série fica cheia de putaia homossexual, é genial!!

Fora que Sopranos, tambéééém da HBO é cheia daqueles godões sem camiseta, nossa, me da até calor, cadê meu leque?

Too-Tsie 18 de agosto de 2008 13:02  

Coincidentemente o BHY fez um post recent sobre OZ, inclusive com um site cheio de screencaps dos nus.

Pena que não é perfeito né, blimblom molinho eu acho muito cotidiano de se ver hehehehhe

mah.rcius 18 de agosto de 2008 13:45  

esse seriado é muito bom. há uma realidade forte, dura e cruel, mas nos presenteia com interpretações fascinantes!!!

e é tudo de bom ver o christopher meloni... uau!!!!

Clebs 18 de agosto de 2008 16:25  

Eu acho que essa série foi também exibida pelo SBT late at night em um dos surtos do Tio Silvio.

E não era um seriado GLS, não o classificaria assim. Apesar de ter bastante carga homoerótica...

Eu vi o beijo e quase gozei...acho Chistopher Meloni um tesão de macho alpha...

Clebs 18 de agosto de 2008 16:45  

Não precisava mudar o post por causa do meu coment, seu bobo!!! Foi só um comentário...realmente não acho um seriado gay, somente com temática que engloba diversas tripos diferentes.. latinos, negros, mafiosos italianos e... gays. E toda prisão tem gay...ou ao menos aquele cara que vira o ponto de alívio de geral.....AFF..

Back to work.

Daniel 19 de agosto de 2008 11:38  

eu adorava
confesso que deixava gravando e depois ficava vendo em camera lenta e dando pause nas cenas mais calientes

coisas da fase pré-armário/pré-internet

Anônimo,  29 de agosto de 2012 17:03  

Pois é né... Um seriado incrível, atuações de fazer chorar, cenas pesadas e tudo mais q nunca se vê em qualquer filme ou série e só se vê comentários ignorantes e patéticos sobre homossexualismo. Nem a própria msg dos monólogos são levados em conta. Decepcionante.. depois os hipocritas querem ser respeitados e entendidos, mas só sabem ridicularizar e vulgarizar tdo q assistem.

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO