30 de julho de 2008

Os Gays e o movimento Bear

Posso falar? Ando de saco cheio destes gay's que glamourizam TANTO as formas físicas, corpos malhados e tals, que quando olham pra alguém acima do peso os reduzem como seres doentes e largados. Oi? Como assim? Ah, não aceito![/betinabotox]

Nada contra MESMO aos que malham e fazem disso sua razão de viver, porém quando alguns ainda acharem que podem marginalizar aqueles que não seguem esta filosofia (?) de vida, NINGUÉM vai me calar! [/aloka]

Para ajudar a pensar sobre essa questão, cito Paul-Michel Foucault quando ele diz mais ou menos assim: “Nem tudo é certo ou errado, mas tudo é perigoso”.

Atualmente existe um movimento de inclusão que busca primar pela diversidade, conhecido como BEAR Culture, onde este deve e precisa ser visto não apenas como um conjunto de gordos (ou mais patologicamente, como alguns gostam de dizer, obesos) defendendo um estilo de vida largado. Aliás, ver este movimento assim é extremamente redutivo e não representa a realidade da maioria de seus membros.

Enfim, o movimento gay iniciado nos anos 70 acabou se tornando tão conservador quanto a ala mais conservadora de qualquer sociedade nos seus mais diferentes níveis. Esta parcela estipulou (de maneira velada, mas nem um pouco despudorada) um modelo de homossexual a ser seguido: Branco, classe média, urbano, intelectualizado, com forma física perfeita. Isso, acabou por marginalizar outras maneiras de se viver a sua homossexualidade.

Simplesmente, esse movimento gay, tão repressivo quanto os movimentos da TFP* (Tradição, Família e Propriedade), estigmatiza com rótulos toda e qualquer outra forma de se sentir integro. Cabe lembrar que ciência e ideologia (burguesa?) sempre andaram de mãos dadas. Foi assim que a homossexualidade, durante muito tempo, figurou no CID (Código Internacional de Doenças).

Foi também baseado nessa questão de ciência e ideologia que, no início do século passado, reuniram provas científicas para provar a inferioridades dos indivíduos negros, inclusive ao ponto de considerar os negros como uma “outra” raça. Acho que não preciso citar o holocausto e todas suas implicações, né?

Apesar de não acreditar muito em rótulos, acho este tipo de movimento (bear) fundamental para resgatar a estima de muitos indivíduos que, por não possuírem o corpo do Tarzan, a voz da Jane e o cérebro da Chita são deixados a margem por não serem considerados “bonitos” e charmosos". O resto é ideologia de alcova disfarçada de liberdade.

No mais aconselho, novamente, Focault:

“Duvide de tudo que está pré-estabelecido. A liberdade, deste modo, será somente a troca de uma prisão.”


Vergonha!


-----------------

*UPDATE: Conforme dica nos comentários, texto alterado.

10 deixaram seu recado:

Vinicius Cabral 31 de julho de 2008 13:55  

Bom... como eu sou gordo (e hetero), prefiro não dar (ui!) opinião... hahahaha.

Sacanagem... Eu acho isso tudo uma falta do que fazer desse povo... ao invés de ir trabalhar os neurônios, torram as energias malhando (nada contra malhar, de vez em quando eu faço também!), e gastam o resto do tempo prestando atenção no próximo...

Daniel 31 de julho de 2008 14:34  

Adorei o blog embora discorde em parte.
Voltarei sempre.
Beijos de Londres.
Dan
www.sembolso.blogspot.com

MMA 31 de julho de 2008 21:50  

Olá Rubens,

concordo muito com o seu ponto de vista. Criam-se barreiras dentro das barreiras para exaltar uma realidade que foge da realidade. Se notarmos bem o perfil do 'gay' perfeito, é tão nazi-inspirativo. O que foge desse perfil é desprezado, rejeitado, ridicularizado.

O assunto vai longe... parabéns pelo início do debate! :D

Klero 1 de agosto de 2008 07:48  

Mas falando de assunto sério com fotos fofas fica difícil de concentrar!
rs

Na verdade, acho que os padrões são exclusivos, sim, mas servem como referência até mesmo para serem contrariados... E também acho que todos precisam de uma referência para se basearam, quer concordem ou discordem. Talvez o maior mal seja a covardia de querer ser como todos em oposição à coragem de ser quem se quer ser....

FOXX 2 de agosto de 2008 12:08  

concordo completamente com tudo q vc disse
tudo

parece q conforme a gente quebra um preconceito
dois aparecem no lugar né?

Eli 2 de agosto de 2008 15:03  

Fala sério, sempre morro de rir com os comentários do Mah... Tão sérios, formais, até parece gente grande, rsrsrs... Amei o texto e os ursinhos, rs. E meio nada a ver, mas... eu sempre tive uma queda por gordinhos e gordinhas, rs... Músculos me enojam! Blergh! E preconceito já é nojento, no meio, parece que é ainda mais!!! Enfim...

Anônimo,  7 de agosto de 2008 08:47  

Adorei o "corpo de Tarzan , a voz da Jane e o cérebro da Chita", e sem querer ser chato, mas TFP = Tradição Família e Propriedade, e não "Terra..." como constou.
Abraços.

Anônimo,  7 de agosto de 2008 15:41  

Oi Rubens,
Você fez uma crítica bastante pertinente ao "meio". Lupicinio Rodrigues tem uma letra que diz "Se eles pensam que ao um lindo futuro / só o amor nesta vida conduz / saiba que deixam o céu por ser escuro / e vão ao inforno à procura de luz". Penso nos mais jovenzinhos, que estão se descobrindo agora e ficam seduzidos por essa "prisão conservadorista" em que o meio se tornou. Concordo com vc quando diz que as coisas são bem mais complexas. Eu por exemplo me sinto atraído por caras gordinhos (acho uma maravilha)e não por um corpo perfeito. reginaldosox@hotmail.com.

Anônimo,  7 de agosto de 2008 18:54  

Acho q una boa ideia para um tema de pesquisa do universo gay pode ser estudar as declarações dos perfis dos sites de encontros. 90% dizem nao gostar de afeminados, viadinhos, etc etc, e tanta a ceguera de esse povo q assusta. Tem ainda os q com uma ingenuidade ja proxima a imbecilidade declaram "não dou pinta" Ai vc depois ve a foto do sujeito, um esterotipo de gibi, com a ropua colante, o cabelinho arrepiado de gel, o anel no dedo polegar. E mais triste do q ridiculo.

MARCELO RADICAL 10 de agosto de 2008 21:55  

A verdade que este jovem rapaz esta certa, eu mesmo estou sentindo isto na pele, afinal, divulgo festa ursina de são paulo, sou responsável pela comunidade de orkut dos ursos de são paulo, sabendo que tem três copia rodando falando que é original , falta de união, vergonha é este tipo de pessoa que só quer nome e não faz nada, por isto fazem este tipo sou inteligente, porém não se mistura á outra pessoa que não teve uma oportunidade de ir nos objetivos pessoais,exemplo: estudar , em vez de critica o que fazem pra melhorar pra ele mesmo.

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO