9 de julho de 2008

MEU PRÍNCIPE*

Quando Renata conheceu Daniel, estava de viagem marcada para outro país. Iria tentar a vida em terras estrangeiras. Porém, para uma simples garota do interior que sempre sonhara com a imagem de seu “príncipe encantado”, acreditava que na pessoa de Daniel estaria a realização de todos os seus sonhos.

Ele sempre se mostrava carinhoso, sensível e companheiro. Emocionava-se com todos os momentos vividos ao seu lado. Exultava a presença de Renata em sua vida. Por isso, desiste de sua viagem, abandona seus antigos planos e se entrega para um novo desafio, ao lado do homem que amava.

Renata sentia que sua vida percorria um novo trilho, partindo de uma nova estação e desconhecia plenamente o destino que aquele caminho a levaria. A única certeza que tinha era o sentimento que assolava seu coração, naqueles momentos.

Ela foi ao encontro de seu príncipe. Enfrentou as pequenas adversidades que se deparou pelo caminho. Venceu, uma por uma, para manter de pé suas convicções e nunca deixar de acreditar naquilo que lhe fez mudar os rumos de sua vida.

Passaram-se os anos. O amor não era como antes. O relacionamento começara a se estilhaçar como vidro. O respeito e a confiança não andavam mais lado a lado. Decidem romper o que já estava desconectado.

Renata, retornou para sua terra natal. Retomou seus antigos sonhos. Busca, agora, novas certezas. Entretanto, nunca se esqueceu da sua vida ao lado deste que um dia chamou de “meu príncipe”.




* Baseado em fatos reais. Nomes e sexualidade foram trocados para preservar a identidade dos envolvidos.

5 deixaram seu recado:

Clebs 9 de julho de 2008 17:52  

Moral da história: Nunca olhe para trás e nunca mude seus sonhos.

Aconteceu quase a mesma coisa comigo, só que eu não me deixei abalar por um amor que já não era certo... e estou de passagem marcada para Paris em Agosto. O amor terminou, mas eu vou realizar o meu sonho...e começar a busca por um novo amor, por mais triste que esteja.

Klero 9 de julho de 2008 22:41  

Escolher é sempre difícil, mas não dá pra se arrepender depois. É mergulhar e aproveitar tudo de bom e ruim!

Marco 10 de julho de 2008 10:56  

Fatos reais da vida de muitas pessoas pelo mundo.

MMA 10 de julho de 2008 12:36  

O problema da Renata foi ter idealizado um cenário para viver. Este cenário é dinâmico e tendia, mais cedo ou mais tarde, a mudar e quando isso aconteceu foi doloroso.

A Renata, contudo, não pode perder a fé. Nem tudo vai dar certo, mas algumas coisas darão e serão a energia para atravessar aquilo que não der certo. Só não vale, realmente, ficar querendo uma vida com presente e futuro se o passado não está resolvido em sua cabecinha.

david santos 11 de julho de 2008 13:53  

A Renata falhou em idealizar o futuro. Penso que se ela tivesse vivido um dia de cada vez, nada de imaginar o futuro, nada mais lhe teria acontecido que não fosse algo do presente, que passa constantemente. Mas como a vida não acabou para ela, ainda terá tempo de recompor muito do seu passado mas, no presente. O futuro de cada um de nós é a morte. Por isso, ainda que pareça um paradoxo, vamos dar mais importância ao presente.
Adorei este "bocadinho".
Parabéns

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO